Educa News

Jovens mentores e empreendedores de sucesso

 

Jovens garotos que transformaram seus projetos em grandes unicórnios do Vale do Silício visitaram no último mês o Instituto Alpha Lumen. Eles compõem o quadro Alumnis, mentores participativos da construção do projeto de vida de novos talentos e estudantes com altas habilidades.

 

Depois de visitarem as novidades nas instalações e relembrarem a fundação da Alpha, Henrique Dubugras e Pedro Franceschi (que cursaram Stanford e são fundadores da Brex – EUA), Jonathan Lima (Engenheiro Brex), Gabriel Guimarães (cursou Harvard e atua na Brex), Luis Usier (cursou Harvard e atua como engenheiro de dados na Inglaterra), João Gabriel Faria Miranda (fundador da HASH – Brasil) e Anderson Ferminiano (Voxus) juntaram-se aos pais e alunos do IAL que esperavam ansiosos para conhecer as histórias inspiradoras de cada um.

 

De maneira descontraída, todos eles tiveram a oportunidade de responder uma enxurrada de perguntas. Muitas delas, relacionadas não somente com a trajetória enquanto estudantes e profissionais, mas também com a visão de mundo e dicas sobre como empreender. Dubugras, participante do projeto “Alpha” e hoje com 24, contou que se preparou desde muito cedo até a fundação da startup de educação Estudar nos EUA e o Pagar.me, empresa de meios de pagamentos on-line, vence dora do mais importante prêmio internacional PYMNTS de inovação.

 

Ele foi destaque na Times e na Forbes por alcançar US$ 2,6 bilhões em pouco mais de um ano. O segredo: “gostar de aprender, estar cercado das melhores pessoas” e, claro “saber programar ajuda muito”, declarou. “Você tem que gostar do caminho. Se o negócio não der certo, perceba quanto aprendeu, quantos amigos você fez.” Pedro, que conheceu Henrique há oito anos, ganhou notoriedade logo cedo quando aos 12, foi a primeira pessoa no mundo a conseguir desbloquear o iPhone e com 15 anos fez o comando de voz da Apple (Siri) falar em português.

 

“Resolver um problema e transformar isso em algo comercialmente viável é o grande desafio de todo empreendedor”, revelou o jovem que tornou-se o melhor amigo e parceiro de projetos do Dubugras. Quando ainda adolescentes discutiam, por exemplo, no Twitter quem conseguia desenvolver um editor de texto mais eficaz. A sólida parceria rendeu não só muito dinheiro, mas também a possibilidade de identificar talentos e construir relações de amizades em torno de um único propósito que é justamente o de trabalhar gostando do que faz e buscando sempre aprender mais.

 

Realizações.

 

Jonathan Lima, que também foi ex–aluno do IAL, divide com todos esses ro com o nosso servidor”, relembrou ele, que veio para São José dos Campos como estudante da Alpha Lumen para participar dos projetos desenvolvidos pela ONG de apoio ao talento.

 

Nessa época também iniciou sua trajetória na Pagar.me e hoje atua na Brex. Luis Usier, que também é membro do projeto Alpha, foi medalhista na Olimpíada Internacional de Biologia e aprovado nas universidades internacionais de Princeton, Columbia e Harvard. Nesta última, cursou estatística.

 

“Lá fora, os investidores gostam de pessoas que têm interesse em fazer coisas diferentes e, aqui, há um vasto campo de oportunidades para criar novas ideias”, afirmou ele. “O maior obstáculo no Brasil é o acesso à informação. As escolas daqui são formatadas para o vestibular. No Alpha, isso não é assim”.

 

Selecionado para integrar a edição 2020 da lista “Under 30”, João Gabriel Faria Miranda, fundador da Hash, foi capitão do time brasileiro do International Young Physicist’s Tournment 2012, conquistou a primeira medalha de bronze brasileira e, atualmente, cursa Ciência da Computação na USP (Universidade de São Paulo). Segundo ele, Nuricel Villalonga Aguilera, fundadora da Alpha Lumen, lhe disse para que tivesse a perspectiva de que existia um mundo inteiro a explorar. Miranda aprendeu a lição.

 

Outro membro e apoiador do projeto “Alpha” que merece destaque é o Anderson Ferminiano que, aos 17 anos, juntou-se com Gustavo Haddad, primeiro medalhista de ouro do Brasil na Olimpíada Internacional de Física também participante e apoiador do projeto Alpha Lumen. Aprovado em Harvard, Stanford, Yale, Princeton e no MIT, ele concluiu o curso nesta última instituição em Engenharia Elétrica e Ciência da Computação em apenas dois anos e também foi uma grande inspiração para Dubugras.

 

Na ocasião eles criaram juntos um site com dicas importantes para estudantes que estavam interessados em se formarem no exterior, tornando-se referência no assunto. O sucesso do projeto, despertou interesse da Fundação Lemann e recebeu R$ 50 mil de investimento.

 

ExperIêncIa.

 

Entre os jovens Alumnis presentes, Anderson é o mais velho (25 anos), mas nem por isso pensa diferente: “Percebemos que não deveríamos só trabalhar, mas ficar com os amigos e trabalhar com eles”. No encontro, a “velha” geração de talentos se surpreendeu com a nova geração de Alphas que vem por aí! Vários já se preparando para cursar universidades internacionais, participando de iniciações científicas em universidades ou estruturando seus planos de negócios como futuros empreendedores.

 

O público ainda conheceu o Gabriel Guimarães, também aprovado em Harvard e um dos engenheiros de computação na Brex. “Não é preciso esperar ficar mais velho e se formar para empreender, se você pode começar agora”, afirmou.

 

Embora otimista e feliz por já ter realizado muitas coisas em sua vida, Gabriel que, assim como o Pedro, lamentam não ter estudado no Alpha como seus amigos, finaliza: “todos podem mudar o lugar onde vivem e deixar a comunidade um pouco melhor, basta aproveitar o tempo e gostar de aprender”.

 

Empreendedorismo.

 

Exemplo de empreendedorismo social para jovens talentos, o Instituto Alpha Lumen é fruto da determinação da educadora Nuricel Aguilera. Com mestrado em Inteligência da Informação, a astrofísica traz literalmente à luz do conhecimento a razão do nome desse projeto de educação.

 

“Alpha Lumen é a ‘luz mais brilhante’. Essa é a ideia do IAL, alavancar luzes brilhantes que tenham discernimento, competência, criticidade e compromisso com um mundo mais justo. Além disso, assim como são muitas as constelações também são muitos os modos de brilhar, uma visão que respeita e valoriza a diversidade e as individualidades de cada criança e jovem em nossa escola”, afirmou ela.

 

O Instituto Alpha Lumen tem outros projetos de apoio ao talento, além do projeto “Escola”, voltado para estudantes de escolas públicas e comunidades carentes.

Fonte:https://www.ovale.com.br/_conteudo/brand/branded_content/2020/04/101250-jovens-mentores-e-empreendedores-de-sucesso.html

Compartilhe com seus amigos

Deixe seu comentário