Paulo César Rosa Da Silva

Filho de uma merendeira e de um vendedor, ambos ausentes de formação fundamental completa, Paulo César Rosa da Silva iniciou-se profissionalmente como funcionário de uma oficina de caminhões aos treze anos de idade e, atualmente, é proprietário de uma indústria metalúrgica especializada em coberturas de grande porte. “Sempre tive o sonho de ter uma vida diferenciada, financeiramente estável: Ter minha casa, meu carro. Pensei que seria fácil, que conseguiria isto de um dia para o outro”, diz.

Paulo afirma que a reflexão acerca da realidade sofrida dos pais impulsionou seu empenho a fim de evoluir frente ao mercado de trabalho. Desta forma, anos depois, ao ser empregado de uma ferragista, adquiriu a aptidão necessária para pavimentar sua trajetória na indústria metalúrgica. “Mantive a vontade de sair daquela situação com o exemplo de meus pais – Pessoas honestas, humildes e boas que sempre trabalharam para dar-nos uma vida digna”.

César alega ter lidado com inúmeras dificuldades e desafios, como a falência de outros empreendimentos contrapondo-os à capacidade de resiliência que desenvolveu – garra, persistência e fé na resolução de seus problemas, que, para ele, mantém-se para quem deseja empreender. Ainda diz: “Para quem acha que abrir um negócio é fácil, não se iluda, nunca foi e nunca será, porém, com empenho e dedicação, nenhum dos seus sonhos é impossível. E quando forem realizados, despertará em você uma imensa satisfação e sensação de dever cumprido”.

Para ele, empreender não é um dom e sim uma habilidade que pode ser adquirida por qualquer um, através do esforço, porque deus não faz ninguém melhor do que o outro, mas apenas pessoas mais esforçadas e mais decididas, e é assim que essas pessoas se destacam.

Paulo acredita que uma das ferramentas necessárias para abrir um negócio é a criatividade que se define em fazer uma coisa acima dos padrões tentando sempre agradar aos seus clientes, fazendo um trabalho como se fosse para si mesmo. Outro fator importante é ter um bom alicerce, tentando aprender cada vez mais, porque assim poderá ter uma visão ampla do negócio e o que quer para sua vida, e tentar não ver o dinheiro como centro de tudo, mas, pensar nele apenas como consequência da busca pela sua felicidade, pois, não é a riqueza que te faz feliz, mas sim os momentos e pessoas queridas.

Diz ainda que um ensinamento que tenta sempre passar aos jovens e pessoas que estão iniciando sua vida profissional é para que sejam atentos com quem está ao seu redor e estarem ligados com a família ao máximo, outra coisa é serem focados em seus objetivos e sempre abertos a aprendizagem e conselhos de pessoas mais experientes como professores e seus pais, isso os ajudará de uma forma surpreendente.

 

Instrutora: Regiane Machado Borges
Jovens: César Vinicius de Oliveira Silva | Jéssica Victoria Souza e Silva
Empreendedor Entrevistado: Paulo César Rosa da Silva

Compartilhe com seus amigos

Deixe seu comentário